Inteligência artificial: inteligência humana exibida por máquinas

Admita! Quando você faz uma pergunta à Siri e recebe uma resposta correta ou dentro do esperado, parte de você sorri, empolgado que acabou de conversar com uma máquina movida por (IA) inteligência artificial. 

No mundo atual, a IA está moldando cada vez mais nossas atividades pessoais e profissionais, para muito além da Siri, da Alexa ou do Google Home, por exemplo. 

Tá! Mas antes de falarmos sobre a inteligência artificial que a gente confia tanto para organizar nossas vidas, é importante entendermos o que é a inteligência artificial. 

inteligência artificial em máquinas, robôs  e dispositivos

De modo geral, a inteligência artificial é um avanço tecnológico que permite que sistemas simulem uma inteligência similar à humana, capazes de realizar tarefas feitas por um humano, só que mais rápido e em maior escala. Aos poucos, o sistema (dependendo do objetivo de sua criação) absorve, analisa e organiza os dados.

Para que o sistema consiga identificar o que são objetos, pessoas, padrões e reações de todos os tipos a partir da análise e organização dos dados, o lado humano precisa entrar em ação e “ensinar” os computadores a pensar. 

Existem vários algoritmos de inteligência artificial e é aí que o machine learning entra como um dos recursos para o aprendizado de uma máquina. 

Mas machine learning e inteligência artificial não são a mesma coisa? 

Não. A inteligência artificial é um conceito amplo que inclui o aprendizado de máquina como um dos seus recursos.

Já a machine learning, em vez de programar regras para uma máquina e esperar o resultado, deixa que a máquina aprenda essas regras por conta própria a partir dos dados, chegando ao resultado de forma autônoma. Um bom exemplo são as recomendações que recebemos na Netflix, que indicam os títulos de acordo com o que o usuário assiste. 

Há várias abordagens para o machine learning, sendo o deep learning a mais conhecida. Nela, grandes quantidades de dados são tratados a partir de algoritmos inspirados na estrutura de neurônios do cérebro resolvendo problemas muito complexos, como o reconhecimento de objetos em imagens.

Onde podemos encontrar inteligência artificial?

Voltando um pouco ao exemplo da Siri, podemos encontrar a inteligência artificial por todos os lugares, desde o celular até o atendimento dos hospitais, por exemplo.

O Google tem processos de machine learning em todos os seus produtos. No Google Fotos, é possível procurar por objetos e situações específicas, desde “abraços” até “cachorros” e “cores”. Além disso, o Assistente está sempre sugerindo criar um GIF, montagem ou efeito.

No Facebook, um mix de inteligência artificial, machine learning e visão computacional permite remover conteúdos impróprios com mais rapidez, rastrear mais conteúdo e aumentar a capacidade da equipe de revisão formada por humanos.

Ou seja, a inteligência artificial está cada vez mais parecida com os humanos e o impacto disso já aparece em debates sobre a ética das aplicações. Separei aqui uma matéria com cinco situações de “humanos” criados por inteligência artificial IMPRESSIONANTES, onde um deles fala sobre o “deep fake”, nosso próximo assunto. 

O que é Deep Fake?

A sensação é que tudo pode ser fake hoje em dia, né?! Notícias, status e identidades.

“Filho” da inteligência artificial, os deepfakes são vídeos que reproduzem a aparência, expressões e até a voz de alguém do mundo real. O Deep Fake usa Inteligência Artificial para trocar o rosto de pessoas em vídeos, sincroniza movimentos labiais, expressões e tudo o mais. É assustador! 

Ficou preocupado com o uso desse recurso? Então, o mais sensato a fazer para se proteger é evitar o compartilhamento de vídeos pessoais com gente que você não conhece ou não hospedá-los em redes sociais de forma pública para dificultar o trabalho de alguém que pense em pegar seu rosto e colocá-lo em outro vídeo comprometedor ou fora do contexto.

Fora isso, é “torcer” para não ser vítima e, se for, procurar um advogado. 

Vidas humanas mais fáceis

A inteligência artificial foi criada com a ideia de tornar as vidas humanas mais fáceis, melhorando nossa qualidade de vida. Por isso, vale destacar os principais benefícios da inteligência artificial:

  • Redução do erro: máquinas capazes de executar tarefas com maior rapidez, precisão e exatidão. Além disso, as máquinas não são afetadas por emoções como cansaço ou ansiedade.
  • Fidelidade: as máquinas podem estar disponíveis 24 horas por dia sem precisar de qualquer interrupção ou manutenção durante esse período de tempo.
  • Maior produtividade: conseguimos automatizar tarefas rotineiras e agrupar seus dados em um único lugar. Com isso, se perde menos tempo com esforços operacionais e é possível focar em outras atividades.
  • Otimização de campanhas: as campanhas pagas que utilizam o Machine Learning, podem ser mais vantajosas do que as campanhas tradicionais, pois encontram o público que têm perfil adequado para cada anúncio, seja por comunicação em massa – entregue para muitas pessoas – ou grupo de pessoas segmentadas.
  • Atendimento otimizado ao público: a inteligência artificial pode otimizar o atendimento oferecido ao público em diferentes aspectos, como na entrega de uma comunicação mais eficiente, no aumento da agilidade em transações e em uma personalização ampliada. De acordo com uma pesquisa da PWC:
    • 60% dos consumidores ouvidos concordam que a IA pode diminuir o tempo necessário para conseguir respostas e, simultaneamente, ser bastante adaptada às preferências deles;
    • 38% dos consumidores concordam que a Inteligência Artificial pode fornecer uma “experiência pessoal personalizada superior”.

Além disso, vale destacar que, anualmente, US$62 bilhões são perdidos por causa de um insatisfatório serviço ao cliente oferecido pelas empresas. A Inteligência Artificial pode contribuir para a redução desta perda.

Aplicação da inteligência artificial no Marketing

Existem muitas aplicações da inteligência artificial nas empresas, em diferentes segmentos, mas resolvi trazer algumas delas no Marketing, já que tem tudo a ver com a gente!

inteligência artificial mapeando padrões, tendências e decisões.

A inteligência artificial pode colaborar no mapeamento de tendências, comportamentos e oportunidades com o público, ajudando na tomada de decisões estratégicas e no atendimento. E quando falamos de atendimento ao público, não podemos esquecer de mencionar o BOT, capaz de interagir com consumidores em sites, redes sociais ou salas virtuais de atendimento, com base em análises feitas no conteúdo das conversas. 

Uma pesquisa produzida pela Imperva, especialista em segurança digital, aponta que pelo menos 52% do tráfego total da Internet é vinculado ao uso de bots de todos os tipos. A pesquisa é baseada em 17 bilhões de visualizações de páginas concentradas num total de 100 mil páginas diferentes. Entre esse montante, o estudo mostra que 29% são bots maliciosos e que os bots úteis — como os farejadores dos serviços de pesquisa — correspondem a apenas 23% do total.

A pesquisa aponta para um problema grave que é simples de entender: bots são fáceis de produzir e sua manutenção custa pouco porque, em geral, pode envolver um ou poucos computadores conectados na rede o tempo todo. Isso explica a disseminação desse tipo de mecanismo pela Internet, sobretudo, nas redes sociais em que uma grande massa de robôs pode influenciar a opinião pública e até interferir em eleições.

Outra atividade em que a inteligência artificial está se aprimorando é a avaliação do comportamento do usuário. Isso porque ela é capaz de analisar conteúdo digital e aplicar um algoritmo a fim de segmentar perfis, tendo por base os hábitos do público. O que nos ajuda – e muito, pois conseguimos recomendar produtos ou serviços que os consumidores têm maior probabilidade de comprar ou contratar. 

Inteligência humana

O funcionamento da inteligência artificial envolve muito mais do que perceber a presença dela em experiências diárias. Toda vez que você pega seu celular, já está vendo o que a inteligência artificial pode fazer por você. Mas, por trás de cada recomendação personalizada, existe uma combinação de tecnologias que faz a inteligência artificial funcionar + O LADO HUMANO.

Compartilhar

Facebook
LinkedIn
Twitter
Pinterest
WhatsApp

deixe seu comentário

posts relacionados